Rate this item
(1 Vote)
paderne2
CASTELO PADERNE2
castelo PADERNE

Informação

Cliente:Castelo de Paderne

Morada:Paderne, Albufeira

Gps:37.1570145,-8.2027267

Site:www.monumentosdoalgarve.pt/pt/monumentos-do-algarve/castelo-de-paderne

Facebook:facebook.com/DRCAlg

O Castelo de Paderne é um hisn, pequena fortificação rural, fundado pelos almóadas na 2ª metade do século XII. Na construção das suas muralhas, que envolvem uma área com cerca de 1 hectare a que atualmente se acede por um únic portão, foi exclusivamente utilizado um processo construtivo já esquecido, a taipa militar: amassaduras de terra local acrescidas de inertes e estabilizadas com cal aérea, que foram compactadas, entre taipais, por apisoamento. Uma vez expostos a prolongada carbonatação, os blocos assim obtidos adquiriam a resistência da pedra com que chegaram aos nossos dias.

O dispositivo defensivo foi dotado de uma torre albarrã com planta quadrangular, que se conserva ainda com uma altura superior a 9 m.

No interior do castelo, as intervenções arqueológicas exumaram estruturas habitacionais, demonstrando que, ao abrigo das muralhas, o espaço foi totalmente urbanizado com ruas estreitas mas de traçado ortogonal, percorridas por um complexo sistema de esgotos que conduziam as águas residuais para o exterior do recinto fortificado. As ruas formavam quarteirões, com uma densidade de ocupação própria dos contextos urbanos da época islâmica, com caraterísticas habitações de pátio central descoberto ao qual se acedia desde todas as salas.

Após a conquista cristã do Algarve instalou-se no castelo uma nova população, que adaptou ou alterou, com conceitos distintos, o modelo doméstico inicial. Duas cisternas dão testemunho dos dois principais momentos de ocupação do castelo - o islâmico e o cristão.

No interior do castelo, junto ao portão de acesso, destacam-se as ruínas de um templo, que foi de evocação de Nossa Senhora da Assunção e primitiva sede paroquial de Paderne, entre meados do século XIII e as primeiras décadas do século XVI. Mais tarde, já como ermida, conheceu romarias na data da sua padroeira (15 de Agosto) e, no dia da Anunciação (25 de Março). Em 1858 a ermida já se encontrava em ruína e desativada do culto, pois nesse mesmo ano, com a justificação de que estava abandonada, o Livro de Actas da Junta da Paróquia regista a deliberação de que as telhas e as madeiras se retirassem em benefício da Igreja Matriz, na moderna povoação de Paderne, e da Ermida de Nossa Senhora Pé da Cruz, esta localizada à saída da aldeia.

*Imagens: www.turismodealbufeira.com e www.cultalg.pt